Agende sua consulta pelos telefones: (19) 3234.8264 | (19) 9.9921.8001

Instituto Bragheto de Fertilidade - Rua Eduardo Lane, 380 - Guanabara - Campinas / SP - Cep: 13.073-002

© 2018 Todos os conteúdos desse site são de propriedade do Instituto Bragheto.

Reserva ovariana

December 29, 2015

 

A capacidade de a mulher engravidar normalmente diminui à medida que ela fica mais velha. No fim da vida, as mulheres têm menos óvulos, com menor qualidade e eles apresentam mais anormalidades em seus cromossomos (material genético). Todos esses fatores juntos contribuem para menores taxas de gravidez em mulheres mais velhas e maiores taxas de aborto.

 

A capacidade de ter um bebê diminui em todas as mulheres à medida que envelhecem, mas a idade exata em que uma mulher não pode mais conceber varia de mulher para mulher. Em algumas mulheres, isso acontece em uma idade mais jovem do que seria normalmente esperado. Cerca de um terço dos casais terá problemas para engravidar quando o parceiro do sexo feminino é de 35 anos ou mais. Existem vários testes que podem ajudar a mostrar potencial de fertilidade de uma mulher, também chamada reserva ovariana.

 

Exames de sangue: FSH, estradiol, e Hormônio Antimülleriano (HAM)

Uma maneira comum de testar a reserva ovariana é através da aferição dos níveis sanguíneos de hormônios. Hormônio folículo-estimulante (FSH) e estradiol são verificados no início do ciclo menstrual. Isso geralmente é feito no terceiro dia do ciclo, mas ele pode ser dosado a partir  primeiro ao quinto dia. Estes níveis hormonais podem mostrar informações importantes sobre como os ovários e a hipófise estão trabalhando juntos.

 

A hipófise secreta FSH para crescimento do folículo. Um folículo é um pequeno cisto que contém o óvulo. Geralmente, os níveis de FSH são mais baixos no início do ciclo menstrual e, em seguida aumentam fazendo com que um folículo cresça e o óvulo amadureça. Quando isso acontece, o folículo libera estradiol. Por sua vez, estes níveis mais elevados de estradiol levam a hipófise a produzir menos FSH. Se o óvulo e folículo começam a crescer muito cedo, devido ao aumento de FSH, o estradiol é produzido mais rapidamente. Se o desenvolvimento é muito rápido, o óvulo não amadurece adequadamente.

 

Em geral, as mulheres em cujo terceiro dia do ciclo apresenta níveis de FSH e/ou estradiol altos são menos propensos a ter um bebê após uma indução da ovulação ou fertilização in vitro (FIV), em comparação com outras mulheres da mesma idade.

O Hormônio Antimülleriano (HAM) é outro teste de reserva ovariana. É feito no folículo e está relacionada com o número de óvulos.

 

Você deve saber que procedimentos laboratoriais e níveis "normais" podem variar de laboratório para laboratório. Pode ser difícil comparar os resultados de um laboratório para outro.

 

Teste do Citrato de Clomifeno

Este teste é realizado com o medicamento Citrato de Clomifeno para avaliar a resposta ovariana e é dado no inicio do ciclo menstrual. Os níveis sanguíneos de FSH e estradiol são mensurados antes e FSH é dosado após o início da medicação.  As mulheres têm menores taxas de gravidez tanto com a terapia de indução da ovulação e fertilização in vitro se os seus níveis de FSH são elevados.

 

Contagem de folículos antrais

O Ultrasom transvaginal pode ser feito no início do ciclo menstrual para contar o número de folículos pequenos (2 mm a 10 mm) dos ovários. Estes são chamados de folículos antrais, onde os óvulos se desenvolvem. O número de folículos antrais pode nos dizer quantos óvulos estão disponíveis e sobre a resposta da mulher à medicamentos gonadotróficos. Este teste é mais preciso quando é feito por um médico com experiência em trabalhar em fertilidade.

 

Resposta a Gonadotrofinas

As gonadotrofinas são medicamentos hormonais injetáveis (FSH ou FSH com hormônio luteinizante) que são usadas para estimular os ovários, e assim promover o crescimento de vários óvulos de uma só vez, para terapias de fertilidade.

Doses mais elevadas destes medicamentos são geralmente necessárias para ajudar com o desenvolvimento do óvulo conforme a mulher envelhece. As mulheres que exigem grandes quantidades de gonadotrofinas geralmente engravidam com menos frequência tanto com a terapia de indução da ovulação quanto da fertilização in vitro.

 

O que significam esses testes

Estes testes tentam prever a resposta de uma mulher no tratamento de fertilidade e a probabilidade dela engravidar em comparação com outras mulheres da mesma idade. Os resultados dos testes de reserva ovariana anormais sugerem que o potencial de fertilidade é reduzido, mas eles não dizem quem vai ou quem não vai engravidar. Algumas mulheres mais jovens com resultados normais têm dificuldade em engravidar. Os resultados podem variar de ciclo para ciclo; no entanto, qualquer teste anormal geralmente mostra o baixo potencial de fertilidade.

 

A chance de engravidar está essencialmente relacionada com a qualidade dos óvulos. Mulheres com mais de 35 anos com resultados anormais que não tiveram o sucesso do tratamento têm uma menor chance de engravidar. Estas mulheres podem ser candidatas a utilizar óvulos ou embriões de um doador. Mesmo com um teste de reserva ovariana normal, as mulheres mais velhas podem ter dificuldade em engravidar.

 

Nenhum teste de reserva ovariana pode prever a capacidade da mulher de engravidar. Estes testes são muitas vezes utilizados para desenvolver um plano de tratamento, incluindo a necessidade de óvulos doados ou embriões.

 

Please reload

Postagens recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Pesquise pelas Tags